Vejam a luta pelo poder na RTP2

INCAUTOS

 

A propósito da política em Portugal e da luta pelo poder, se quisermos ilustrações, podemos recorrer a uma série que a RTP2 tem exibição desde o dia 14. O Barão Negro.

O episódio de ontem é elucidativo da maltratada democracia, neste caso, dentro dos partidos políticos. Os bastidores da política são sempre o mais cativante.

A RTP emprestou-me esta frase espetacular: “Na política, a amizade é o pior inimigo”. Quem está na política partidária que se pronuncie. A mim soa-me a verdadeira.

Então deixem-me dizer mais um pouco, caso a curiosidade não vos tenha levado até à RTP2 esta semana. O Barão Negro é uma série francesa, criada por Eric Benzekri et Jean-Baptiste Delafon que retrata os meandros da política e da justiça.

As interpretações são ótimas. O protagonista não dorme. Contorna as situações desfavoráveis de forma exemplar. Cilindra adversários e correligionários. Move-se em todos mundos. Se não pode derrotar os adversários puxa-os para o seu campo.

O primeiro episódio passou no dia 14 deste mês. Eu usaria esta frase feita: “A não perder”.

 

O Sr. Presidente está orgulhoso – a Nova Caledónia quer continuar francesa

O MUNDO

Fica lá para a Oceânia (Pacífico). É um território ultramarino francês. Há lá quem queira ser independente. Em 1998 foi celebrado o Acordo de Nouméa (a capital do território deu-lhe o nome) prevendo a passagem do poder e a consulta à população sobre a possibilidade de independência.

No passado dia 2 os caledónios foram a votos. Os eleitores rondam os 175000. 80% deles votaram e 56,4% destes disseram que não querem ser independentes. A Nova Caledónia vai continuar a ser um território ultramarino francês e Emmanuel Macron diz que está orgulhoso.

O presidente francês não pode dormir descansado sobre o assunto. O líder independentista, Alosio Sako, diz que “ficaram a dois palmos da vitória” e possivelmente vai reclamar um novo referendo. Na verdade estão previstos, no Acordo de Nouméa, celebrado entre a França e a Nova Calendónia, mais dois referendos, sobre a possibilidade de independência do território.

Vamos aguardando notícias sobre as opções dos caledónios.

 

Legenda: situe-se em Portugal. Experimente olhar para oriente. Passe para Espanha e depois para França. Continue em frente, sempre em frente. Lá para o Oriente encontrará a Nova Caledónia, veja bem, um território ultramarino francês.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑