Chamem a polícia

O meu ângulo

“Dar moeda não é solução” informa o cartaz, da Câmara Municipal de Leiria, colocado num parque de estacionamento isento de pagamentos. Claro que a Câmara tem soluções para quem pede moedas em troca da “ajuda” no estacionamento. Não tem? Ora essa, então, no mínimo, é falta de solidariedade com quem necessita de uns trocos para sobreviver. 

“Não é nada disso”, dir-me-ia a Câmara se eu lhe perguntasse e acrescentaria: “Aquela moeda que não é solução se dada a quem arruma carros, é de uma grande mais-valia se ficar no bolso do dono do automóvel”.

O cidadão deve pensar muito bem sempre que um arrumador lhe estender a mão. Não se esqueça que a Câmara o aconselha chamar a polícia.

Imagem: Jacinta Romão

Bajouca não quer ser explorada por gás

QUERER É PODER

 

Bajouca é uma freguesia do concelho de Leiria, onde, em 2015, um governo em final de mandato concessionou a exploração de gás. As gentes da freguesia e do concelho não querem e têm protestado.

O presidente da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes (PS) enviou uma carta ao ministro do Ambiente e da Ação Climática a pedir-lhe que trave exploração de gás na freguesia da Bajouca.

A empresa australiana à qual foi entregue a concessão ainda não fez a prospeção e, por isso, o presidente a Câmara Municipal refere que o resgate da concessão é barato.

Gonçalo Lopes, teve conhecimento da carta que o ministro enviou à ativista do clima, Greta Thunberg, onde, João Pedro Matos Fernandes, refere o mal que as alterações climáticas fazem ao nosso país, sendo este o fundamento encontrando para pedir ao ministro que resgate a outorga.

A concessão foi entregue, em 2015, pelo Governo de então em final de mandato. Isto parece dar esperança a Gonçalo Lopes, já que os responsáveis políticos eram outros. Mas até pode funcionar ao contrário, por isto e por aquilo, vai ver que a concessão não pode ser travada.

Fez muito bem o senhor presidente da Câmara, mas deve ter paciência, possivelmente a carta era só para Greta ver.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑