As flores da solidariedade

Era um terreno baldio, nas traseiras de um prédio de um bairro de Alhandra, onde vivem algumas das senhoras que ali fazem crescer um lindo jardim. Agora abundam roseiras, saudades, malmequeres, moitas de passarinho, ervas aromáticas e muito mais.

O chão barrento é muito pesado para os braços das mulheres, mas um dia uma fez uma cova e colocou lá uma poda de roseira e foi regando, regando e a planta pegou e cresceu. Um outro dia veio uma vizinha da primeira e trouxe outra poda e plantou, regou e mais uma roseira ali surgiu. De vez em quando aparecia mais uma vizinha, que se associava às primeiras. Trazia sementes que metia na terra e que logo germinavam. Foi assim que o jardim foi crescendo.

Mas as “jardineiras” tinham dificuldade em carregar a água para a rega. Tinham de a trazer de longe, de casa. Até que um dia surgiu, como que por magia, uma solução. Aquela é uma terra de gente solidária.

No bairro existem árvores e alguns plantas em canteiros que também precisam que cuidem delas. Quem se encarrega deste trabalho passou a esquecer-se, próximo do jardim das senhoras, de uma mangueira ligada a uma saída de água. Ficou ali, como que abandonada, e a água para a rega do jardim passou a estar mesmo à mão.

Imagem: Desobrigado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: