A natureza não humana resplandece e ri de nós

ENSINAMENTOS

 

A água rumoreja, os pampilhos amarelejam o campo, as magarças branqueiam as orlas das veredas, as papoilas ponteiam a vermelho a imensidão de cores dispensando os trigais, a floresta ao lado da cidade adensa-se, os pássaros esvoaçam e empoleiram-se no cimo dos galhos e cantarolam. Mas, e as pessoas meus amigos? Não acredito que estejam a rir de nós. Não vos basta este interregno nas maldades que vos temos feito?

Os automóveis não correm. Os barcos estão ancorados. Os aviões não troam nos céus. A pressão sobre o Planeta baixou. Mas não é necessária tanta exuberância. Eu sei que estão no vosso direito, pois então estiquem-se agora. Chilreiem à vontade. Verdejem e floresçam. Nós até prometemos mudar um pouco do que é nefasto nas nossas vidas.

Então, por favor, mostrem compaixão. Nós estamos a morrer. Nós estamos doentes. Nós estamos sozinhos confinados entre quatro paredes. Nós não podemos estar juntos. Nós não damos beijinhos e abraços.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: