Ajundando a manter a fé nos portugueses

ENSINAMENTOS

O Natal está mesmo a bater à porta, mas eu vou dizer-lhe que tenho muita pena de este ano não o receber cá em casa. Peço-lhe que apareça lá para dezembro de 2021, se o SarsCov2 tiver sido derrotado. 

O vírus até parece saber que as empresas farmacêuticas estão a ser ágeis na criação das vacinas e que rapidamente as autoridades competentes estão a aprovar os medicamentos. Enquanto isso acontece, ele está a mutar-se e a capacitar-se para contagiar mais rapidamente. O Reino Unido já identificou uma mutação 70% mais contagiosa. Muitos outros países já estão a dificultar a entrada de cidadãos de lá regressados, mas, alguns deles, já admitiram que a alteração pode já circular entre as suas populações.

Portugal, como não podia deixar de ser, só deixa entrar portugueses ou cidadãos britânicos cá residentes e se tiverem testes de despistagem da Covid-19 negativos. No entanto, quem está em Portugal, neste Natal, pode deslocar-se por todo o país. As autoridades só apelam à boa consciência das pessoas. As restrições retornarão na passagem de ano.

Os governantes não querem obrigar os portugueses a afastarem-se uns dos outros no Natal. Eu não concordo. É verdade que todos parecemos ser especialistas em saúde pública. Eu também já vou sabendo mais um pouco sobre este novo Coronavírus e quando ouço os cientistas estou sempre muito atenta. Foi assim que ouvi, um dia destes, Henrique Oliveira, matemático e professor no Instituto Superior Técnico, dizer (na SIC notícias) que, se festejarmos o Natal, como as autoridades políticas permitem, vamos ter mais de 800 a 1500 mortos (além daqueles que aconteceriam se não houvesse medidas menos restritivas) tendo acrescentado que as projeções que tem feito, sobre a pandemia, têm estado sempre certas. Ouvindo isto, podíamos meter o travão ou até a marcha atrás, mas não, vamos arriscar, tendo fé de que as pessoas, não estando proibidas, cumprirão todas as regras de segurança que lhes são aconselhadas. 

O Natal está mesmo a bater à porta, mas eu vou dizer-lhe que tenho muita pena de este ano não o receber cá em casa. Peço-lhe que apareça lá para dezembro de 2021, se o SarsCov2 tiver sido derrotado. Eu costumo celebrá-lo com, pelo menos, mais vinte pessoas, este ano vou fazer de conta que estou feliz.

Trump escancarou as portas

ENSINAMENTOS

O presidente dos Estados Unidos da América (EUA) está doente. O SarsCov2 aproveitou a porta que Trump escancarou e infetou-o. Ele não acreditava na gravidade da doença, enquanto isso, testavam-se tratamentos para o que desse e viesse. 

Agora o presidente dos EUA está hospitalizado e os cientistas utilizam um tratamento inovador, constituído por anticorpos sintéticos, acreditando que é eficaz quando aplicado no início da doença.

Oxalá, um dia destes, o cidadão comum agradeça a Donald Trump por ter testado um tratamento eficaz contra a Covid-19.

Estava escrito nas estrelas. Quem vai de Portugal faz quarentena em Inglaterra

ENSINAMENTOS – PORTUGAL EM TEMPOS DE COVID-19

Ora aí está a decisão, quem entrar em Inglaterra, ido de Portugal, faz quarentena. O resto do Reino Unido (Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte) tem autonomia e ainda não decidiu.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, disse: “É uma decisão absurda, errada, desapontante”. Pois, parece-me tudo isto, mas a decisão está tomada.

Nova forma exclusão. Podiam ter olhado com atenção para a minha análise estatística (vejam aqui).

Ao que podemos controlar porque não dizemos não?

ENSINAMENTOS

 

Aí está, ali ao lado, a central nuclear de Almaraz tem autorização para funcionar até 2028. Devia encerrar em junho deste ano, mas vai continuar.

Enquanto nos consumimos de medo da Covid-19, que o SarsCov2 faz alastrar pelo Mundo sem que possamos compreender como é possível que tenha acontecido esta enormidade de contágio, andamos distraídos de outros males.

E aí está, mesmo ali ao lado, os donos da central nuclear de Almaraz (a Iberdrola – 53%; a Endesa -36%; a Naturgy – 11%. Segundo a Lusa) têm autorização para ela funcionar até 2028. Devia encerrar em junho deste ano, mas vai continuar.

Havia quem tivesse esperança de que as autoridades espanholas não deixassem que a central nuclear continuasse a trabalhar, mas o Conselho de Segurança Nuclear espanhol já autorizou.

A permissão definitiva cabe ao Ministério para a Transição Ecológica de Espanha que ainda não se pronunciou. Façamos figas para que o terror causado pelo vírus tenha criado fundamentos fortes para afastar o que está ao alcance do ser humano e que a produção de energia nuclear e o armazenamento de resíduos não tenham lugar em Almaraz.

Ainda não havia medo - Covid-19
Imagem: DGS (antes do medo)

A natureza não humana resplandece e ri de nós

ENSINAMENTOS

 

A água rumoreja, os pampilhos amarelejam o campo, as magarças branqueiam as orlas das veredas, as papoilas ponteiam a vermelho a imensidão de cores dispensando os trigais, a floresta ao lado da cidade adensa-se, os pássaros esvoaçam e empoleiram-se no cimo dos galhos e cantarolam. Mas, e as pessoas meus amigos? Não acredito que estejam a rir de nós. Não vos basta este interregno nas maldades que vos temos feito?

Os automóveis não correm. Os barcos estão ancorados. Os aviões não troam nos céus. A pressão sobre o Planeta baixou. Mas não é necessária tanta exuberância. Eu sei que estão no vosso direito, pois então estiquem-se agora. Chilreiem à vontade. Verdejem e floresçam. Nós até prometemos mudar um pouco do que é nefasto nas nossas vidas.

Então, por favor, mostrem compaixão. Nós estamos a morrer. Nós estamos doentes. Nós estamos sozinhos confinados entre quatro paredes. Nós não podemos estar juntos. Nós não damos beijinhos e abraços.

 

Aeroporto no Montijo. Não concordam? Vamos perguntar outra vez

ENSINAMENTOS

As câmaras lideradas pelo PS dizem sim e câmaras lideradas pela CDU dizem não. Então é claro que não vai haver aeroporto no Montijo.

 

Para haver aeroporto no Montijo todos as câmaras envolvidas têm de dar parecer favorável, assim está inscrito no regime jurídico que institui que a entidade reguladora da aviação civil (ANAC) só pode autorizar a obra se todas as autarquias envolvidas derem parecer favorável.

Ora acontece que as câmaras lideradas pelo PS dizem sim e câmaras lideradas pela CDU dizem não. Então não vai haver aeroporto no Montijo. Claro que o Governo não vai legislar para um caso concreto, pois corre o risco de abrir um precedente grave. O Governo do PS não incorre em situações dúbias.

Mas então o que é isto que o PS tem andado a fazer nos últimos dias?

Aproveitem enquanto não há aviões
Imagem: Público

Usaram informação privada da Facebook. Arrependem-se. Pagam uma multa? Só isso?

USOS E ABUSOS

Gostava de saber quem vai amealhar os milhões que resultam de uma sanção por terem sido violados os dados privados de 87 milhões de utilizadores da Facebook. Esta informação fica para outro dia, porque, pelo caminho da pesquisa, encontrei o homem que esteve no centro do abuso. É um canadiano, perito em informática, que trabalhava para a britânica, Cambridge Analytica (CA) onde a informação das pessoas foi acedida e tratada de modo a obterem perfis psicológicos de possíveis votantes. Agora, até é tido como muito interessante!

É Christopher Wylie, canadiano, assume ter contribuído, de forma drástica, para a vitória de Donald Trump, nas presidenciais de 2016, nos Estados Unidos da América (EUA) e para o êxito no Brexit, no mesmo ano, no Reino Unido. Está arrependido. Ele denunciou e denunciou-se sobre o uso de dados pessoais de 87 milhões de utilizadores da Facebook, onde ele terá tido o papel principal na CA, segundo o próprio.

A CA abriu falência. Donald Trump foi colocado no poder. O Reino Unido anda às voltas com o Brexit. Wylie, que diz ser o principal responsável do uso abusivo de dados privados das pessoas, desdobra-se em conferências explicando como ajudou a enganar meio mundo.

A Facebook poderá vir a pagar uma multa de 5000 milhões de dólares. É esta a intenção da Comissão Federal do Comércio dos EUA, que terá de ser confirmada pelo Departamento de Justiça deste país. Possivelmente a sanção será aplicada e irá dar mais um impulso a quem já foi ajudado na ascensão.

 

Ilha de Sommar, Noruega, tem muitas noites sem dias e muitos dias sem noites, quer um tempo seu

ENSINAMENTOS

 

Antes de mais fica aqui esta informação, só para nos relembrar, a norte da linha imaginária no planeta (latitude 60.º 33’ 44’, norte) existem, pelo menos, 24 horas de escuridão total e 24 horas de luz total. À medida que o Pólo vai ficando mais perto vai crescendo o número de dias e de noites de luz ou de escuridão. Algo idêntico (de modo inverso) se passa no Sul, no Círculo Polar Antártico, mas hoje estamos a Norte.

 

Esta informação vem a propósito de uma notícia que vi na Lusa e por aí reproduzida em suportes informativos diversos. Trata-se de uma ilha onde vivem umas 300 pessoas que gerem o tempo à sua maneira, lá para o norte da Noruega.

São os habitantes da ilha de Sommar, no Círculo Polar Ártico, que querem legalizar a abolição da rigidez da gestão do tempo. Até pensam deixar de usar relógios. Eles vão levar a iniciativa ao parlamento do país. Querem que o legislador institua a aplicação que eles já fazem do seu tempo há gerações, segundo dizem.

Na ilha acontecem 69 dias anuais de luz total e as correspondentes noites. Se atentarmos em tantos dias sem noites, pensamos: que loucura. E o que dizer de tantas noites sem dias! Isto sou eu uma esquisita a pensar nas dificuldades de viver assim. Eles têm muitos dias sem noites e muitas noites sem dias e só querem viver o tempo à sua maneira. Não querem, ou não podem, cumprir os horários do mundo.  

Vamos aguardar as notícias sobre se os seus tempos foram legalizados e se os turistas acataram o símbolo da abolição dos horários pendurar os seus relógios na ponte que separa a ilha do resto do município a que pertence” Lusa.

 

 

Herói até a defender os carcereiros

Ensinamentos

 

Por vezes recordamos os heróis. Hoje lembrei-me de Nelson Mandela (1918-2013) e de uma história que ouvi no programa Olhar o Mundo (RTP3).

Como todos sabemos, Nelson Mandela, antes de se tornar presidente da África do Sul (1994 a 1999) lutou contra o apartheid, por isso, foi julgado e mantido preso durante 27 anos, quando já era um advogado bem-sucedido.

A prisão situava-se numa ilha. Os guardas prisionais chegavam e partiam de barco. As carreiras eram poucas, por vezes, ou porque o mar não estava de feição ou porque os motores tinham avarias, chegavam atrasados.

Quando aconteciam os contratempos, sem que os homens tivessem qualquer culpa, os superiores hierárquicos levantavam-lhes processos disciplinares e eles enfrentavam sérios problemas. Então, Nelson Mandela, constituía-se seu advogado. Defendia os carcereiros.

Nelson Mandela, foi libertado em 1990. Em 1993 foi Prémio Nobel da Paz (com Frederich De Klerk). Em 1994 foi eleito presidente da República da África do Sul.

Enquanto João Miguel Tavares discursava em Portalegre

Ensinamentos

 

Estava a gostar, Senhor Presidente? Estavam a gostar, meus senhores? Enquanto João Miguel Tavares discursava, em Portalegre, nas comemorações do 10 de Junto, os rostos estavam assim.

 

 

Depois de João Manuel Gaspar Caraça (2016), Manuel Sobrinho Simões (2017), Onésimo Teotónio Almeida (2018). O Presidente da República convida, para Presidente da Comissão Organizadora das Comemorações do 10 de Junho, dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, João Miguel Tavares.

O Senhor Presidente terá gostado do discurso do seu convidado? Não o queria mais a seu lado? à sua maneira?

 

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑